em cartaz

Em Maio, mergulhos e viagens ao interior.

Começamos o mês com uma estreia, o novo filme do celebrado autor alemão Christian Petzold. Em “Undine”, a personagem principal, interpretada por Paula Beer, dá o nome a um filme sobre um amor mergulhado no mito de uma ninfa aquática. Uma obra inspirada no mito de Ondina, a ninfa que apenas adquire alma através do amor e que está destinada a assassinar o amante que lhe seja infiel.

Em “A Cidade Branca”, desembarcamos na Lisboa do início dos anos 80 do século passado. Paul, interpretado por Bruno Ganz, é um marinheiro suíço que deambula pela cidade e se dedica a fazer pequenos filmes em super 8, tem dois amores e nenhum projecto. Nesta obra seleccionada para o Festival de Berlim, o realizador Alain Tanner reflecte sobre a solidão e a inconstância, num filme em que a luz da cidade é captada de forma inesquecível pela fotografia de Acácio de Almeida. Será exibido numa magnífica cópia digital restaurada.

Por fim, uma odisseia na “Sibéria” de Abel Ferrara em mais uma colaboração com o consagrado actor Willem Dafoe. Clint, um norte-americano solitário, embarca numa jornada anárquica e mística ao seu próprio interior, um filme repleto de referências, dos onirismos fellinianos às influências visuais que por vezes fazem lembrar David Lynch, e até um monólogo tirado das páginas de "Assim Falava Zaratustra" de Friedrich Nietzsche. Uma viagem às profundezas de um ser.